Menu

Logo 5 2017 SemSlogan

Ações complementares agitam Centros Educacionais de Santo André

Ações complementares agitam Centros Educacionais de Santo André

Cesas oferecem cursos gratuitos em diversas modalidades aos munícipes; locais oferecem também atividades para a comunidade local e aulas de recuperação de aprendizagem

Santo André, 2 de maio de 2022 – Santo André possui espaços especialmente pensados para contribuir no desenvolvimento de atividades de formação artísticas, esportivas, pedagógicas, sociais e culturais, voltadas a alunos da rede municipal e à comunidade. São os 12 Centros Educacionais de Santo André (Cesas), que funcionam em diversas regiões da cidade.

No Cesa Parque Andreense, por exemplo, a participação dos alunos da rede municipal e da comunidade em geral faz a diferença na rotina do complexo educacional.

Para Sophia Ferreira Tavares, participante do Cesa Parque Andreense, a oportunidade de frequentar as aulas complementares de dança veio em boa hora. “Gosto muito de dançar. A melhor parte dessa aula complementar é ensaiar a coreografia com as músicas mais agitadas”, destaca a aluna de nove anos.

Assim como Sophia, as outras alunas chegam pontualmente para a aula de dança. O monitor anuncia o início da atividade com exercícios de alongamento. Na sequência aperta o “play” e a música começa a tocar, assim a coreografia vai tomando forma com toda turma sincronizada. “Para mim é muito gratificante ver a evolução dos alunos. Aqui todos se propõem a participar e conquistar os benefícios que a dança traz”, comemora o monitor de manifestações artísticas Gustavo Menegusso.

Nos Cesas, as ações complementares contam com diversas modalidades, como capoeira, teatro, circo, futsal, futbaby, atletismo, ballet, xadrez, taekwondo, dança, basquete, yoga, meditação infantil, práticas cooperativas, grafite, artes visuais, violino, musicalização, karatê e ginástica artística.

As modalidades das ações complementares são oferecidas a crianças da Educação Infantil Inicial e Final, além do Fundamental I. O espaço oferece também atividades das secretarias de Esporte e Prática Esportiva e Cultura para a comunidade local que se inscreve previamente.

Aulas de recuperação de aprendizagem - Os Centros Educacionais de Santo André reúnem Emeief, creche, centro comunitário e biblioteca para realização de ações complementares. Nos Cesas são realizadas também aulas de recuperação de aprendizagem, visando minimizar os impactos da pandemia na Educação a partir do programa “Toda Criança tem Direito de Aprender”.

A iniciativa atende alunos dos anos iniciais e ocorre nos 12 Cesas da cidade, espaços destinados até então para atividades complementares na rotina dos alunos.

Alexa Eduarda Souto, de oito anos, frequenta as aulas no Cesa Parque Andreense. “O mais importante para mim é ler e escrever sem ter dúvidas se estou entendendo tudo certinho”, conta a aluna. “Aqui eu consigo aprender ainda mais. Gosto bastante das atividades que temos aqui na sala”, complementa o aluno do Cesa Parque Andreense João Caio Fiorini de Oliveira, de nove anos.

Para contribuir no aprendizado, os monitores contam com um material de apoio especial elaborado com o objetivo principal de recuperação de aprendizagem dos alunos de 3º, 4º e 5º anos do Ensino Fundamental dentro do contexto específico para esta faixa etária. Além disso, os Cesas proporcionam formação sistemática conjunta dos monitores de atividades pedagógicas e monitores de ações complementares, planejamento articulado semanal das atividades, efetivando a interdisciplinaridade do trabalho com as crianças.

A coleção “TEMA – Tempo de Mais Aprender” foi adotada a partir de uma pesquisa minuciosa realizada pela Secretaria de Educação e dos exitosos resultados colhidos na cidade de Sobral, estado do Ceará, após evolução nos índices do Ideb (Índice de Desenvolvimento da Educação Básica) na região.

Assegurar boas práticas aos alunos, bem como condições que possibilitem uma qualidade leitora e escritora por intermédio da utilização destes cadernos e as intervenções dos monitores diante do material é o foco da parceria.

A adesão dos alunos é realizada a partir da avaliação da equipe escolar que acompanha o avanço das crianças não alfabetizadas do terceiro ao quinto ano. No programa, são duas horas diárias ou oito horas semanais de aula, ampliando para sete horas o tempo de permanência no espaço escolar – das 11h às 13h para as crianças que estudam das 13h às 18h e das 12h às 14h para as crianças que frequentam a escola das 7h às 12h.

Para o monitor de cultura de Paz do Cesa Parque Andreense, Marcio Alexandre da Silva Monte, o projeto tem trazido resultados positivos. “Já percebemos um avanço por parte dos alunos, que têm se mostrado muito animados em participar do projeto”.

Alexandra Rodrigues, monitora pedagógica, reforçou os benefícios da iniciativa. “A coordenação motora e a socialização entre os alunos apresentou melhora significativa. Fico emocionada em acompanhar o quanto eles têm evoluído e se tornado uma equipe cooperativa. É uma turma que se ajuda quando algum colega apresenta alguma dificuldade”.

| Texto: Caroline Terzi
| Fotos: Alex Cavanha/PSA

Última modificação emSegunda, 02 Maio 2022 08:32

Deixe um comentário

Certifique-se de preencher os campos indicados com (*). Não é permitido código HTML.

voltar ao topo