Menu

Logo 5 2017 SemSlogan

Santo André realiza evento “HIV ABC+DMR” Destaque

Foto: Alex Cavanha/PSA Foto: Alex Cavanha/PSA

 Evento contou com a participação presencial de cerca de 60 pessoas e também foi disponibilizado em formato virtual

Santo André, 26 de outubro de 2021 – No último sábado (23) foi realizada a segunda edição do "HIV ABC+DMR". Com o tema central "Qualquer carga viral importa?", a programação abordou ainda a proteção contra a Covid-19 pelas vacinas, a testagem para avaliação de imunidade, além dos avanços no tratamento da infecção pelo HIV.

“Esse é o segundo evento que fazemos, o primeiro foi em 2019 e não conseguimos realizá-lo em 2020 em virtude da pandemia. Com certeza é uma vitória estarmos conseguindo realizar esse evento de forma hibrida no novo normal. Esse provavelmente vai ser o último evento que eu participo como coordenador e encarregado desse serviço, então pra mim tem um significado especial. Faz a gente lembrar que nesse final de ano esse serviço completa 31 anos e hoje traz representantes assim como eu, aqui hoje, e a partir dali nós fomos tentamos construir um serviço e o programa de IST/Aids”, explica o infectologista e responsável técnico pelo Ambulatório de Referência em Moléstias Infecciosas (ARMI), Humberto Barjud Onias.

O evento aconteceu no Hotel Bristol, localizado na avenida Industrial, 885 e contou com a participação presencial de cerca de 60 pessoas que foram recepcionados com apresentação de violinopelo músico Thiago Brisolla.

“E a construção se confunde com a construção do próprio SUS. Coisas tão comuns como acolhimento e porta aberta foram coisas que começaram nesses serviços e, com certeza, orgulha todos nós que estávamos lá desde o começo. Um SUS que, infelizmente, passa hoje por um risco de desmonte e a nossa tarefa como profissionais da área da saúde é continuar lutando, tendo resistência e resiliência de defendê-lo sempre e mostrar que ele pode funcionar muito bem”, completou Dr. Humberto.

A iniciativa também foi disponibilizada em formato virtual, com o propósito de interação e troca de experiências entre os serviços de infectologia das cidades da região e os profissionais da área da saúde. O evento ocorreu seguindo todas as medidas de segurança com teste antígeno nasal e distanciamento social.

A palestra contou com a participação dos professores e doutores Humberto Barjud e Elaine Matsuda (CME Infectologia de Santo André), Luís Brígido (IAL/SP), José Vidal Bermudez (Instituto Emilio Ribas), Ricardo Diaz (Unifesp) e Melissa Medeiros (Fortaleza/CE) que abordaram temas como “Estou protegido? Entendo as vacinas e os testes utilizados na avaliação da imunidade contra a covi-19”, “Qualquer carga viral importa?”, “O que importa no paciente infectado?” e “Quem são os pacientes elegíveis para Darunavir 800mg?”.

“Temos que retomar essa paixão pelo que a gente faz e lembrar que somos SUS. A nossa proposta desde o primeiro evento era foi unir os programas da região, pois os programas são como se fossem bairros de São Paulo, estamos aqui para ajudar o outro, somos um grupo só aqui no ABC e não temos limites. Um município está do lado do outro e SUS é isso. estamos aqui para isso, A gente pretende não deixar a peteca cair, esperamos que as próximas gerações mantenham o nosso espírito pois estamos lá para resolver os problemas dos pacientes e não os nossos. São 40 anos de AIDS, serão mais 40, 80, 100, mas será de outra maneira, assim como quem estava no começo da pandemia lembra o que era antes e o que é hoje e que muitas vezes é mais fácil do que tratar uma hipertensão e é isso que tentamos passar para o paciente e continuar lutando para uma cura no futuro", explicou a médica infectologista e coordenadora científica do evento, Dra. Elaine Monteiro Matsuda.

Histórico - O município possui um serviço de referência em infectologia há 30 anos, tendo iniciado os primeiros atendimentos no C. S. Escola de Capuava e, desde 1992, passou a atender no mesmo prédio onde funciona a UBS Vila Guiomar. Desde então a demanda pelos atendimentos cresceram, bem como o número de profissionais, o que permitiu que este serviço fosse ampliado e tivesse um novo local com mais estrutura e segurança aos usuários, localizado no Centro Médico de Especialidades da Vila Vitória.


Dados de HIV – Durante o primeiro ano da pandemia houve uma pequena queda nos casos de HIV/Aids em Santo André, no entanto, os números voltaram a subir em 2021. De janeiro a outubro de 2021 houve 221 notificações, em 2020 houve 83 notificações e em 2019, ano anterior ao início da pandemia, houve 114 notificações.

Os testes são realizados em todas as unidades de saúde de Santo André ao longo do ano. O Centro Médico de Especialidades Referência em Infectologia, localizado na Vila Vitória, possui um ambulatório adulto e infantil que atende, em especial, os portadores de hepatites virais B e C crônicas, de HIV/Aids, além de integrar os atendimentos dos casos de tuberculose extrapulmonar. O serviço também conta com o CTA (Centro de Testagem e Aconselhamento), responsável por ofertar testes rápidos para sífilis, hepatites B e C e HIV, e dispõe de equipe de assistência às vítimas de abuso e violência sexual.

No Centro Médico de Especialidades há cerca de 2.742 pacientes em terapia para o tratamento do HIV e 313 pacientes em uso de Prep (Profilaxia Pré-Exposição ao HIV).

Texto: Rafaela Mazarin

 

Deixe um comentário

Certifique-se de preencher os campos indicados com (*). Não é permitido código HTML.

voltar ao topo