Brasão da cidade de Santo André, Prefeitura de Santo André

Menu

Segunda fase do programa Costurando com Amor já produziu mais de 400 mil máscaras

Segunda fase do programa Costurando com Amor já produziu mais de 400 mil máscaras Alex Cavanha/PSA

Produção segue em andamento e costureiras recebem R$ 2 por item entregue; ação distribuiu cerca de 1,2 milhão de máscaras desde o início da pandemia

Santo André, 31 de maio de 2021 – A segunda fase do programa Costurando com Amor, realizado pelo Fundo Social de Solidariedade de Santo André, já produziu mais de 400 mil máscaras. No ano passado o programa distribuiu 800 mil máscaras pela cidade para munícipes em situação de vulnerabilidade.

As costureiras do município que se cadastraram retiram os kits com materiais e recebem R$ 2 por máscara produzida. Cada participante recebe um kit com tecido, linha e elástico, suficiente para a produção de 600 máscaras. Os ganhos, portanto, podem chegar a até R$ 1.200 por pessoa.

“Estamos sempre procurando alternativas para minimizar os danos causados pela pandemia. O Costurando com Amor, além de auxiliar as costureiras da cidade, que conseguem uma renda extra, distribui máscaras para quem mais precisa. Cuidar dos nossos munícipes será sempre a nossa prioridade”, destacou a primeira-dama e presidente do Fundo Social de Solidariedade, Ana Carolina Barreto Serra.

A ação tem como objetivo auxiliar a população de Santo André a superar a crise causada pela Covid-19 e impedir o crescimento da pandemia. Além de contribuir com a renda das costureiras, o Costurando com Amor também ajudou a superar diversas situações, como foi o caso de Camila Sanches, de 43 anos. Aluna do curso de costura, ministrado pelo Fundo Social de Solidariedade, ela participou do programa para ajudar nas despesas de casa, após ter perdido a mãe.

“Pedi demissão do meu serviço para poder cuidar da minha mãe que estava doente, então me ajudou muito a superar essa situação de perda, além de contribuir em casa, pois estava precisando muito. E fazer parte dos trabalhos do Fundo Social sempre é muito bom, agradeço demais a oportunidade”, afirmou.

Para Ivete Bartolassi, de 64 anos, também não foi diferente. Ela participou da primeira fase em 2020 e entrou na segunda fase este ano, após uma semana internada no Hospital de Campanha Pedro Dell'Antonia, com Covid-19.

“Foi muito bom participar do programa, garantiu um dinheiro extra em um momento necessário, ainda mais depois de um tempo sem trabalhar por conta da internação. Me ajudou bastante e foi tudo feito com muito carinho, uma via de mão dupla, fui ajudada e sei que quem recebeu as máscaras também. Sou muito grata por tudo”, destacou a costureira.

Texto: Daniele Vieira

Deixe um comentário

Certifique-se de preencher os campos indicados com (*). Não é permitido código HTML.

voltar ao topo