Brasão da cidade de Santo André, Prefeitura de Santo André

Menu

Santo André assina protocolo de intenções com instituição especializada em ensino híbrido

Santo André assina protocolo de intenções com instituição especializada em ensino híbrido Angelo BAima

Rede municipal se prepara para novo formato do ensino que integra aulas presenciais e ensino remoto; parceria inclui troca de conhecimento, realização de estudos e avaliação diagnóstica do nível de aprendizagem

Santo André, 4 de fevereiro de 2021 - Os profissionais da rede municipal de ensino de Santo André participaram nesta quinta-feira (4) da palestra “Educação híbrida na educação básica do Brasil: desafios e vantagens”, ministrada pela educadora Maria Inês Fini, criadora da Associação Nacional de Educação Básica Híbrida. A participação foi presencial e também de forma online.

No evento, realizado no Centro de Formação de Professores Clarice Lispector, o prefeito Paulo Serra, juntamente com a secretária de Educação, Cleide Bochixio, e a pedagoga Maria Inês Fini, assinaram protocolo de intenções com a instituição Fini & Fini Educare - Sociedade de Estudos Avançados em Educação e Desenvolvimento.

O documento assinado prevê troca de conhecimento, realização de estudos, e avaliação diagnóstica para saber o nível de aprendizagem dos alunos de Santo André e dimensionar a defasagem provocada pela ruptura repentina das aulas presenciais em 2020. O protocolo também inclui o desenvolvimento conjunto de metodologia no processo de retomada das aulas no ano letivo de 2021.

“A educação passará por uma transformação radical este ano, e é com esse espírito que a gente vai retomar a educação básica na nossa cidade. Esta parceria nos dará respaldo científico e tecnológico neste processo. Porque, apesar do período mais difícil estar chegando ao fim, muitas marcas de 2020 ficaram, e uma das consequências principais foi o comprometimento do desenvolvimento educacional das crianças”, destacou o prefeito Paulo Serra.

“Nosso objetivo é garantir a todos os nossos alunos, cerca de 35 mil, e seus familiares, o acesso a toda a escolaridade formal que faltou no ano de 2020, apesar de toda a dedicação dos profissionais da educação que se empenharam em meio a muitas a dificuldades”, frisou a secretária de Educação, Cleide Bochixio.

O prefeito Paulo Serra acrescentou que este é o momento de encontrar soluções para minimizar os impactos da pandemia no desenvolvimento educacional das crianças. “O conhecimento sobre o ensino hibrido, sua aplicação em todo o seu potencial, junto com o diagnóstico que medirá a defasagem do ensino por conta da pandemia, vai ser a principal maneira de minimizar esse prejuízo que já houve, e até de ultrapassar os índices de qualidade do ensino que já são muito bons na nossa cidade”.

A palestra ministrada nesta quinta-feira foi assistida de forma remota por cerca de 2.000 pessoas, além dos 100 representantes das equipes gestoras das unidades de forma presencial.

Ensino híbrido – A palavra híbrido significa mistura, de acordo com Maria Inês. “O ensino nesse formato não pode ser composto apenas de aulas presenciais ou somente de aulas remotas. O ensino híbrido é a combinação dos dois formatos, que se integram e dão origem a uma forma nova forma de ensino”, explicou a pedagoga. “O ensino hibrido já existe há muito tempo e é aplicado em vários países. Mas a pandemia trouxe a urgência da sua implementação, fazendo com que um processo que levaria 10 anos para acontecer tivesse de ser aplicado da noite para o dia”, completou.

 

Texto - Paola Zanei

Foto - Angelo BAima

Deixe um comentário

Certifique-se de preencher os campos indicados com (*). Não é permitido código HTML.

voltar ao topo