Logo 5 2017

 

Menu

1° Festival de Xadrez de Santo André conta com participação de mais de 500 alunos da rede municipal

1° Festival de Xadrez de Santo André conta com participação de mais de 500 alunos da rede municipal

Iniciativa pioneira integra projeto piloto, desenvolvido ao longo deste ano em quatro escolas do município

Santo André, 28 de novembro de 2019 – Concentração, raciocínio lógico e estratégico, além de planejamento e outras tantas contribuições no aprendizado. Foi com estas premissas que a rede municipal de ensino de Santo André, em parceria com a secretaria de Esporte e Prática Esportiva, incluiu na grade de quatro Emeiefs (Escolas Municipais de Educação Infantil e Ensino Fundamental) um projeto piloto para aulas semanais de xadrez durante o turno escolar.

As unidades selecionadas foram a Emeiefs Tarsila do Amaral, Therezinha Monteiro Barros Nosé, Antonio Virgílio Zaniboni e Nicolau Moraes Barros. Para marcar o encerramento do projeto em 2019, foi realizado nesta quarta-feira (27), o 1° Festival de Xadrez de Santo André. Na ocasião, mais de 500 alunos da rede estiveram no Complexo Esportivo Pedro Dell’Antonia e puderam interagir por meio de  partidas com alunos das outras unidades participantes recebendo medalhas.

Para a aluna Stefanie Monteiro Madeira, de 10 anos, foi um privilégio participar do Festival. “Sem perceber, nos preparamos o ano todo treinando e agora conseguimos colocar em prática com alunos de outras escolas. Temos sorte em ter a oportunidade de aprender na escola este jogo tão legal”.

Sem necessitar de muito espaço físico, a modalidade já faz parte da rotina dos alunos do projeto, como é o caso de Pedro Henrique Fernandes, de 10 anos, aluno da Emeief Tarsila do Amaral. “No começo eu achava um jogo muito difícil, mas depois fui vendo que era muito gostoso de jogar. Sempre que posso ensino meus amigos para que joguem comigo e, quando não tem ninguém disponível, escolho jogar pelo celular”.

A inclusão também foi marco do 1° Festival de Xadrez de Santo André. Alunos com diversos tipos de deficiências e transtornos participaram da atividade, como foi o caso da estudante Emily Kretzschma de Moraes, com deficiência auditiva. “Consegui ganhar as partidas com as estratégias que os professores ensinaram e também consegui interagir com os alunos ouvintes de outras escolas”, destacou.

O professor de xadrez Paulo Cesar Vasconcelos ressaltou a alegria e resultados obtidos pelos alunos. “É recompensador ter em nossa grade uma disciplina que geralmente faz parte apenas das escolas particulares. Valorizar essa modalidade e difundir aos meus alunos é muito gratificante”.

Fernando Correa Manarim, em conjunto com Patricia Cristina do Nascimento, faz a supervisão da modalidade de xadrez na Secretaria de Esporte e Prática Esportiva. “Trazer uma modalidade que se adapta tranquilamente em sala de aula, necessitando apenas de um tabuleiro e suas peças, além da atuação dos monitores, é um sonho antigo. Essa, agora, é uma realidade que tem nos trazido um retorno muito positivo e que pretendemos ampliar para beneficiar mais pessoas no ano que vem”, pontuou Fernando.

“Para nós é uma grande conquista o fomento do xadrez nas unidades escolares, contribuindo para o desenvolvimento das crianças. A partir da parceria com a secretaria de Esporte e Prática Esportiva, conseguimos trazer o xadrez para a grade formal, acabando com o preconceito e fazendo as crianças pegarem gosto pela modalidade. Com o xadrez os alunos vivenciam o protagonismo na tomada de decisões e conquistam uma postura mais ativa. Já temos o retorno positivo dos próprios alunos do 3°, 4° e 5° ano, dos pais, das equipes gestoras e professores, com todos elogiando as mudanças na cultura da escola”, complementou a coordenadora de Educação Física Escolar, Fabiana Stival Morgado Gomes.

| Texto: Caroline Terzi
| Fotos: Alex Cavanha/PSA

Deixe um comentário

Certifique-se de preencher os campos indicados com (*). Não é permitido código HTML.

voltar ao topo