Logo 5 2017

Menu

Arara resgatada no Centro de Santo André chega ao Parque Ecológico do Tietê

Ave ainda é filhote Ave ainda é filhote Divulgação/Semasa

Ave, que ainda é um bebê, foi recolhida por um comerciante na rua General Glicério

Santo André, 30 de outubro de 2019 - O Semasa (Serviço Municipal de Saneamento Ambiental de Santo André) e a Secretaria de Meio Ambiente receberam um chamado, na última segunda-feira (28), sobre uma arara-canindé que foi acolhida por um comerciante, na rua General Glicério, região central da cidade. Agentes da autarquia e da Prefeitura atenderam a ocorrência e resgataram o animal. Na tarde de terça-feira (29), a ave foi levada ao Parque Ecológico do Tietê, localizado na capital, onde, em breve, estará junto de outras de sua espécie.

De acordo com os veterinários que atenderam a equipe municipal no Parque, trata-se de uma arara ainda filhote. Também conhecida como arara-de-barriga-amarela, o bichinho foi recolhido pelo comerciante Agenor Jesus Maranini, que entrou em contato com o Semasa e com a Secretaria de Meio Ambiente.

No Parque Ecológico do Tietê, a ave foi examinada e vermifugada. De acordo com a equipe de veterinários e biólogos do local, em breve ela poderá conviver com outras de sua espécie. A arara-canindé não é um animal típico da Mata Atlântica e, por isso, não é encontrada no Parque do Pedroso, por exemplo, onde alguns dos animais resgatados pelo Semasa são devolvidos à natureza.

O superintendente do Semasa, Almir Cicote, acompanhou a equipe do Semasa e da Prefeitura no trabalho de acolhimento da arara junto ao Parque Ecológico. "Viemos fazer a entrega desse belo animal, que provavelmente era de propriedade particular, para ficar na natureza e ter convivência com outras aves. Esse trabalho de resgatar animais e devolver ao meio ambiente é muito gratificante", afirmou Cicote.

Em Santo André, o Semasa é o órgão técnico ambiental e, entre suas várias atribuições, está o manejo da fauna silvestre. Este trabalho conta com o apoio da GCM e também da Secretaria de Meio Ambiente, principalmente nas áreas de Paranapiacaba e Parque Andreense. Por causa da pressão humana e degradação ambiental, os animais acabam desalojados de seus habitats naturais, ‘fogem’ para as residências das pessoas, além de outros que são vítimas de tráfico ou caça ilegal.

“Moramos em uma cidade privilegiada, com uma gigantesca área de preservação ambiental que corresponde a 61,9% do seu território. O contato com animais silvestres é muito comum em Santo André, mas raramente acontece no centro da cidade, com um animal tão dócil e bonito como essa arara-canindé. Provavelmente era mantida em cativeiro de forma ilegal. Seu recolhimento comoveu a população e toda a equipe da Secretaria do Meio Ambiente, que se orgulhou muito da operação de resgate”, disse o secretário do Meio Ambiente, Fábio Picarelli.

Quem vê ou encontra um animal silvestre perdido ou ferido deve entrar em contato com o Semasa, pela Central de Atendimento 115, pelo Facebook da autarquia, ou ainda fazer a denúncia por meio da GCM, no telefone 4428-1700, ou na Secretaria de Meio Ambiente, pelo telefone 4433-1958. Maltratar animais é crime ambiental previsto pela Lei Federal 9.605/98 e pode acarretar em multa e detenção, quando identificado o infrator.

“Foi muito prazeroso participar dessa ação, saber que existe a chance da arara voltar para seu habitat, saber que pudemos proporcionar este cuidado à ela. Ela é linda, principalmente em liberdade”, comemorou Daniela Vitor da Silva Freire, encarregada de Bem Estar Animal da Secretaria de Meio Ambiente.

Texto: Paloma Alvarez/ Semasa

Foto: Divulgação

Última modificação emQuinta, 31 Outubro 2019 12:04

Deixe um comentário

Certifique-se de preencher os campos indicados com (*). Não é permitido código HTML.

voltar ao topo