Menu

Logo 5 2017 SemSlogan

Complexo viário Adib Chammas

Histórico: As obras de construção do Viaduto Antônio Adib Chammas foram iniciadas em meados da década de 1970 e entregues em 1981. Construído para atender ao crescimento da cidade e ao aumento do tráfego, o novo elevado representou uma grande transformação da região central da cidade. Com sua conclusão, o viaduto interligou a Avenida XV de Novembro à Avenida dos Estados e a margem oposta do Rio Tamanduateí, cruzando um grande obstáculo para o trânsito naquela época: a estrada de ferro. A obra facilitou ainda a ligação com o segundo Subdistrito e as cidades de Mauá, São Caetano do Sul e a Capital. Em 1987, obras complementares viabilizaram a transposição do Rio Tamanduateí. A transposição sobre o Rio Tamanduateí, cuja geometria é a atual, foi iniciada em 1991 e entregue em dezembro de 1992. Em 2011 foi executado o recapeamento e a troca de juntas de dilatação de toda a extensão do viaduto.

O investimento: O contrato assinado com a empresa Terracom Construções terá investimento de R$ 15,2 milhões para a construção de duas novas faixas de tráfego que irão transpor a avenida dos Estados e o rio Tamanduateí. A duplicação do viaduto faz parte de pacote de intervenções de mobilidade que será realizado com verbas do BID (Banco Interamericano de Desenvolvimento). A Prefeitura obteve financiamento de US$ 25 milhões junto à instituição financeira e investirá outros US$ 25 milhões em diversas obras, totalizando investimento de US$ 50 milhões. Santo André, pela primeira vez na história, lançou um edital na modalidade internacional, obedecendo criteriosamente os preceitos das Políticas para Aquisição de Bens e Obras Financiadas pelo BID. As intervenções vão trazer vários benefícios para o município, como a melhora na fluidez do tráfego entre as duas regiões da cidade e a redução nos tempos de viagens dos motoristas que utilizam essa transposição, proporcionando aumento na articulação da rede viária.

O projeto: A duplicação do viaduto Adib Chammas, tem como objetivo melhorar a fluidez do tráfego entre a porção central e oeste da cidade. Localizada sobre a Av. dos Estados e o Rio Tamanduateí, a referida obra de duplicação possui uma extensão aproximada de 172,00 metros e largura de 9,80 metros. Serão adicionados duas faixas de tráfego com 3,50 m de largura, duas faixas de segurança com 1,0 m e duas barreiras intransponíveis com 38 cm de largura. Um diferencial desta obra é o inédito método construtivo que será adotado para a duplicação do viaduto Adib Chammas, que se chama balanço sucessivo. Com a execução desse tipo de projeto, será possível a construção do novo complexo sem a necessidade de escoramento sob a obra e, portanto, sem obstruir o sistema viário durante a construção, evitando ao máximo problemas aos motoristas. A execução da obra é feita por módulos, simultaneamente dos dois lados do viaduto para manter o equilíbrio da estrutura, até os módulos se encontrarem no centro do viaduto. No caso do viaduto Adib Chammas, cada módulo tem quatro metros de comprimento, em um total de 17 módulos (oito de cada lado, além de um central).

A obra: A autorização para o início das obras foi dada em 26 de julho de 2019 e a expectativa é de 18 meses para entrega da obra.

Destaque da localização da duplicação do viaduto Adib Chammas

im1

Corte longitudinal do processo construtivo para a duplicação do viaduto por balanço sucessivo


im2

 

Perspectivas artísticas

 im3

 

Vídeo 


 

Programa de Mobilidade Urbana Sustentável de Santo André

PROGRAMA DE MOBILIDADE URBANA SUSTENTAVEL DE SANTO ANDRÉ

Com objetivo de melhorar as condições de circulação local e regional, principalmente com enfoque do transporte coletivo e na melhoria da acessibilidade dos modos não motorizados, a Prefeitura de Santo André por meio da Secretaria de Mobilidade Urbana (SMU) desenvolveu o Programa de Mobilidade Urbana Sustentável de Santo André (PMUS). Trata-se de um conjunto de intervenções no sistema viário estrutural do Município com a implantação prioritária de medidas de ampliação da capacidade e de tratamento especial à circulação dos ônibus. Os objetivos do PMUS são:

  • Priorizar circulação do transporte coletivo e de modos não motorizados;
  • Melhorar o sistema viário;
  • Permitir a conexão e a continuidade dos corredores;
  • Reduzir o consumo de combustível e de emissão de gases;
  • Reduzir dos pontos de estrangulamento do tráfego nas vias centrais;
  • Melhorar a segurança do trânsito.

O financiamento de US$ 25 milhões junto ao Banco Interamericano de Desenvolvimento - BID será investido em obras e medidas de qualificação da gestão do transporte e trânsito. A PSA aportará outros US$ 25 milhões em fundos de contrapartida local no PMUS. O contrato junto ao BID foi assinado em 16 de julho de 2018. O programa deverá ser executado em 5 anos com metais globais de desenvolvimento urbano sustentável que trará melhorias significativas em ações locais como na taxa anual de acidentes e na redução do tempo de viagem para usuários do transporte público, aumentando assim a velocidade média do sistema e a oferta de ônibus. O Programa contempla as seguintes ações:

  • Obras de Duplicação do Viaduto Antônio Adib Chammas.
  • Obras do Complexo Viário e Parque Urbano Santa Teresinha e da Recuperação Estrutural com Reforço e Remodelação do Viaduto Castelo Branco.
  • Obras para a implantação de 4 km de corredores de transporte coletivo;
  • Desenvolvimento de Ações de Fortalecimento Institucional, tais como:
  • Plano de Mobilidade Urbana Sustentável;
  • Plano para a Mobilidade Segura Inclusiva;
  • Estudo do Uso do Solo e Capacidade de Suporte de Infraestrutura para corredores de ônibus;
  • Implementação da metodologia BIM na gestão e elaboração de projetos;
  • Capacitação de mulheres para atuação na operação no sistema de transporte;
  • Capacitação de operadores do sistema de transporte coletivo;
  • Implantar ações de educação para os usuários do sistema de mobilidade urbana; 
  • Contratação de consultoria para apoio na gestão financeira nos contratos de concessão;
  • Sistema de Monitoramento da Mobilidade Urbana.

Imagem1.png

IV – Departamento de Transportes Públicos – Santo André Transportes (SATrans)

Diretor: Carlos Eduardo Fava 


A Santo André Transportes é responsável pelo transporte público do município, através do Departamento de Transportes Públicos, formado pelas gerências de Fiscalização Operacional (GFO), Controle Operacional e Cadastro (GCOC), e Planejamento (GEPLAN). 

É de responsabilidade do Departamento de Transportes Públicos:

  • Formular e implantar a política global dos serviços de transportes públicos, incluindo a sua permanente adequação às modificações e necessidades do município e à modernização tecnológica e operacional;
  • Planejar, executar, controlar e fiscalizar a operação dos serviços de transportes públicos no âmbito do município;
  • Planejar, implantar, construir, gerenciar, manter e fiscalizar a operação de terminais, abrigos e pontos de parada, pátios de estacionamento e outros equipamentos destinados ou associados à prestação dos serviços de transporte público;
  •  Articular a operação do transporte público de passageiros com as demais modalidades dos transportes urbanos, municipais ou regionais;
  • Promover a elaboração das normas gerais e demais regras incidentes sobre o sistema de transportes públicos e sobre as atividades a ele ligadas, direta ou indiretamente, bem como sobre as infrações a tais normas, dispondo sobre penalidades aplicáveis, quando necessário, para complementar os regulamentos e a legislação vigente;
  • Aplicar as penalidades e recolher as multas correspondentes pelo não cumprimento das normas reguladoras do sistema de transportes públicos, em qualquer de suas modalidades;
  • Desenvolver e implementar a política tarifária para o sistema de transportes públicos, incluindo estudos dos modelos e das estruturas tarifárias de remuneração da prestação dos serviços;
  • Elaborar estudos, planos, programas e projetos para o sistema de transportes públicos, bem como participar da elaboração de outros que envolvam esse sistema;
  • Planejar, organizar e operar os serviços de venda antecipada de passagens, como o vale-transporte, passe escolar e outros existentes, ou que venham a ser implantados, incluindo o desenvolvimento, implantação e controle dos sistemas de cadastro necessários para o seu funcionamento;
  • Elaborar, desenvolver e promover o aperfeiçoamento técnico e gerencial dos agentes envolvidos direta ou indiretamente na provisão dos serviços de transporte público, incluindo programas de treinamento, campanhas educativas e de esclarecimento.

O sistema de transporte público de Santo André conta com 420 veículos de transporte individual (táxis), 450 veículos para transporte de estudantes e 404 veículos para transporte coletivo urbano. Assim a SATrans gerencia e fiscaliza 1.274 veículos, nos diversos modos de transporte, além de gerenciar as 48 linhas municipais existentes.

Santo André: Mês da Mobilidade

A cidade de Santo André é conhecida pela diversidade de ações voltadas à educação para o trânsito, não se limitando a apenas ensinar regras de circulação, mas também contribuindo para formar cidadãos responsáveis, autônomos e sobretudo, comprometidos com a preservação da vida.

O objetivo é mostrar que trânsito é uma questão de cidadania e que faz parte do cotidiano de todos, sejam pedestres, ciclistas, passageiros ou condutores.
Por meio da sensibilização de todos os atores sobre a importância de um comportamento mais responsável no trânsito que poderemos cada vez mais preservar vidas.

Seja você a mudança no trânsito e participe das atividades que a gerência de educação para trânsito preparou para o Mês da Mobilidade/2015.

Conheça a programação: Clique aqui.