>

 


O plasma, também conhecido como quarto estado físico da matéria, é formado quando uma substância no estado gasoso é aquecida até atingir um valor tão elevado de temperatura que faz com que a agitação térmica molecular supere a energia de ligação que mantém os elétrons em órbita do núcleo do átomo. Os elétrons acabam “soltando-se” e a substância torna-se uma massa disforme, eletricamente neutra e formada por elétrons e núcleos dissociados.

É comum no nosso cotidiano encontrarmos as substâncias em seus três estados físicos: sólido, líquido ou gasoso. Apesar de não ser fácil a obtenção do plasma na superfície do nosso planeta, ele constitui 99% de tudo o que existe no universo. Isso porque grande parte dos astros celestes é formada por substâncias nesse estado de agregação. Embora raros, podemos citar alguns exemplos da presença do plasma, como o fogo, lâmpadas fluorescentes, televisão com tela de plasma, os raios, entre outros.

Onde encontrar plasma?
Como são necessárias condições específicas (altas temperaturas, partículas de gases e ionização) para sua existência, o plasma não é tão comum no nosso planeta, entretanto, no universo, mais de 90% da matéria se encontra no estado de plasma.

O Sol, por exemplo, é todo constituído por matéria na forma gasosa e de plasma, pois as estrelas, por serem gases a temperaturas muito altas, tem suas partículas carregadas eletricamente, que formam o plasma.

No nosso planeta é possível encontrar matéria em plasma, mesmo que muito abaixo das temperaturas em que se encontram as estrelas. As lâmpadas fluorescentes e os letreiros em neon são bons exemplos. Nesses casos, um gás é submetido a altas voltagens, de forma que os elétrons são separados de seus átomos ou levados a altos níveis de energia, e então, o gás dentro do bulbo se torna um plasma e os elétrons excitados voltam para os níveis anteriores de energia, emitindo fótons com comprimentos de onda dentro do espectro visível, possibilitando que enxerguemos as luzes coloridas.

Esse é o mesmo princípio de funcionamento das televisões de plasma. Nestes aparelhos, um gás, geralmente argônio, neônio ou xenônio, é injetado entre dois painéis de vidro e submetido a uma corrente elétrica que causa o brilho em vermelho, verde e azul, que ao serem combinados geram as cores específicas desejadas.

Outro exemplo de plasma são as auroras boreais que cercam os polos em algumas épocas do ano. Quando o vento solar (uma corrente de partículas carregadas) atinge o campo magnético da Terra, suas partículas, em sua maioria prótons, colidem com os átomos do ar, excitando-os e assim, da mesma forma que ocorre nas lâmpadas fluorescentes e letreiros em neon, luz é gerada.

Fonte:
Mundo Educação / InfoEscola

Links Interessantes

 

Videos

Plasma



 

Como fazer uma bola de plasma


 

Voltar para EXPERIMENTOS

© 2017 SABINA - Escola Parque do Conhecimento. Todos os direitos reservados. Desenvolvido por Sabina