>

 

A refração da luz é um fenômeno óptico que ocorre quando a luz sofre mudança do meio de propagação, ou seja, do meio de incidência para o meio de refração, onde há variação de velocidade da propagação. Lembre-se que a luz é uma forma de onda que se propaga em determinada velocidade e essa velocidade dependerá do meio no qual ela se propaga.

Dessa maneira, considera-se a velocidade da luz no ar, diferente da água, de modo que quando passa de um meio para o outro, seja um copo de vidro com água, ocorre a refração, ou o desvio do feixe de luz.

Nesse processo, ocorrerá a diminuição da velocidade da luz e do comprimento da onda, entretanto a frequência (constante de proporcionalidade) não será alterada. Por isso, quando colocamos um objeto num copo com água, ou quando observamos uma piscina estando fora dela, temos a ilusão de que o objeto está quebrado, no caso do copo, e a piscina possuir menor profundidade.

Refração da Luz

 

INCIDÊNCIA DA LUZ

No fenômeno da refração, ocorre a alteração da velocidade de propagação da luz por meio de um desvio da direção original, ou seja, a luz sofre um desvio angular em relação à reta normal, de modo que passa de um meio transparente para outro transparente diferente.

Assim, se a incidência da luz no meio for normal, ou seja, apresenta o ângulo de incidência igual a zero, a luz não sofrerá desvio e, portanto, seu ângulo refratado será nulo. Por outro lado, quando a incidência da luz provoca um desvio oblíquo, o raio luminoso se aproximará mais da reta normal, levando ao desvio na trajetória luminosa, ou seja, o fenômeno da refração.

 

LEIS DA REFRAÇÃO DA LUZ

O fenômeno da refração é regido por duas leis básicas:

  1. Primeira Lei da Refração: regida pelo enunciado “O raio incidente, o raio refratado e a normal, no ponto de incidência, estão contidos num mesmo plano”, ou seja, são coplanares. Em outros termos, o plano de incidência e o plano da luz refratada coincidem.
  2. Segunda Lei da Refração: A Lei de Snell-Descartes é aquela em que calcula-se o valor do desvio sofrido pela refração da luz. Postula que “Os senos dos ângulos de incidência e refracção são diretamente proporcionais às velocidades da onda nos respectivos meios”, representado pela expressão: na.senθa = nb.senθb.

 

 

INDICE DE REFRAÇÃO

O índice de refração determina a relação existente entre a velocidade da luz no vácuo e a velocidade no meio. Note que quanto maior a frequência da luz, maior será o índice de refração; são classificados em: absoluto e relativo.

 

Índice de Refração Absoluto

Representado pela letra n, o índice de refração absoluto corresponde a razão entre a velocidade da luz no vácuo (c) e a velocidade da luz no meio considerado (v), na medida que, quanto maior for o índice de refração de um meio, menor será a velocidade de propagação da luz nesse meio. Observe que o índice de refração absoluto sempre tem um valor maior ou igual a 1 (n ≥ 1), sendo calculado pela seguinte expressão:

Refração da Luz

Donde:

n: índice de refração (adimensional, não há unidade de medida)

c: velocidade da luz no vácuo (c = 3.108 m/s)

v: velocidade da luz no meio (m/s)

 

 

 Índice de Refração Relativo

O índice de refração relativo calcula o índice de um meio para o outro, expresso pela seguinte fórmula:

Refração da Luz

Onde,

n: índice de refração (adimensional, não há unidade de medida)

v: velocidade da luz no meio (m/s)

 

 

REFLEXÃO DA LUZ

A reflexão da luz, por sua vez, acontece quando a luz é desviada da superfície onde havia refletido e retorna para a sua origem. A reflexão pode ser regular, quando a luz reflete em meios planos resultando em raios luminosos paralelos.
Ela também pode ser irregular, quando a luz reflete em meios que apresentam elevações resultando raios em várias direções.
Importa referir que a luz pode ser absorvida pelos corpos em que ela reflete. São os materiais de que são compostos esses corpos que fazem com que a luz apresente as suas cores.

 

 

FONTES DE LUZ

A luz provém de duas fontes, a primária e a secundária.
São fontes primárias aquelas que têm sua própria luz, tal como o Sol. As fontes secundárias, por sua vez, são aquelas que refletem luz recebida. É o caso da Lua, que reflete a luz solar.

 

 

MEIOS DE PROPAGAÇÃO DA LUZ

A luz se propaga no vácuo de forma extremamente veloz. Mas há outros meios de propagação da luz, os quais são classificados da seguinte forma:

Meio translúcido: é um meio irregular, pois apesar da passagem da luz, ela é pouco nítida. Exemplo disso é a neblina que esconde a luz do Sol.

Meio transparente: é um meio regular, motivo pelo qual a luz passa facilmente por ele. O vácuo é um meio transparente.

Um meio opaco não permite que a luz se espalhe, porque ele bloqueia a luz. Como exemplo, podemos citar uma lanterna direcionada para uma parede, pois os raios de luz não chegam ao outro lado da construção.

 

 

Fonte:
TodaMateria

 

 

Links Interessantes

 

Videos

Refração da Luz



 

 

 

 

 

 Voltar para EXPERIMENTOS

© 2017 SABINA - Escola Parque do Conhecimento. Todos os direitos reservados. Desenvolvido por Sabina