>

 

 
 

A princípio e de forma bem simplificada, o olho humano pode ser considerado um instrumento óptico, pois é constituído por uma lente biconvexa (o cristalino), que fica situada na região anterior ao globo ocular. No fundo do globo ocular, está a retina, que é sensível à luz e serve de anteparo para as imagens. As sensações luminosas, após serem captadas e projetadas sobre a retina, são enviadas ao cérebro pelo nervo óptico.

 

ESTRUTURA INTERNA DOS OLHOS

O olho é o órgão do sentido que está relacionado com a captação de imagens e percepção da luz. É por meio dessa estrutura que conseguimos ver o ambiente em nossa volta e, consequentemente, evitar situações de perigo.

Analisando superficialmente, o olho parece apenas uma estrutura arredondada bastante simples. Entretanto, os olhos possuem várias partes importantes, que controlam a entrada de luz e garantem a formação perfeita da imagem.

Córnea- Essa camada, que é a primeira atingida pela luz, é formada por tecido transparente e resistente. Ela protege o globo ocular contra traumas e contaminações, além de ajudar a dar formato ao globo e atuar na refração da luz. Essa estrutura é frequentemente limpa pelas lágrimas, que são espalhadas pelas pálpebras.

Esclera – Conhecida como o branco dos olhos, essa região é formada principalmente por fibras colágenas. Atua como barreira para o conteúdo intraocular e é um local de fixação para os músculos extraoculares, que garantem a movimentação dos olhos. Além disso, possui função de proteção mecânica.

Coroide – Revestimento membranoso e vascularizado localizado dentro da esclera. Sua principal função é nutrir as camadas dos olhos.

Íris – Facilmente diferenciada, a íris é a parte colorida dos olhos e está localizada logo atrás da córnia. Essa estrutura funciona como um diafragma de uma câmera, ajudando a controlar a abertura e o fechamento da pupila. Para ajudar no controle do tamanho da pupila, essa região possui músculos lisos que atuam nessa movimentação.

Pupila – Abertura localizada na região central dos olhos e por onde ocorre a entrada de luz. O diâmetro médio dessa estrutura é de 2-4mm.

Cristalino ou Lente – Estrutura responsável por ajustar o foco de luz e é formada por água, proteínas e minerais. A lente destaca-se por sua capacidade de acomodação, modificando seu formato e garantindo, assim, a focalização em objetos de diferentes distâncias.

Retina – Região localizada na parte interna do olho e rica em fotorreceptores. É nessa região que a luz é focalizada e os impulsos nervosos são gerados em direção ao sistema nervoso central. Na retina, é possível diferenciar dois tipos de receptores: bastonetes e cones. Esses últimos permitem a visão em cores, e os bastonetes são usados, principalmente, na visão no escuro.

Nervo óptico – Nervo responsável por levar os impulsos nervosos do olho para o cérebro para que os sinais sejam processados. É formado por aproximadamente um milhão de axônios.

FORMAÇÃO DA IMAGEM NO OLHO HUMANO

A imagem que vemos é resultado do seguinte processo: o cristalino, uma lente biconvexa, forma uma imagem real e invertida do objeto, a qual fica localizada exatamente sobre a retina. Feito esse processo, essa imagem é enviada ao cérebro pelo nervo óptico. Após inúmeros processos complicados, que a fazem ficar na posição correta, enxergamos o objeto nitidamente.

Conseguimos enxergar os objetos de modo nítido porque a imagem deles forma-se sobre a retina, no entanto, existem alguns casos em que ela não se forma exatamente sobre a retina, originando o que chamamos de defeitos de visão. Esses defeitos ocorrem em razão de uma possível deformação no globo ocular ou mesmo por uma defeituosa acomodação visual. Eles podem ser corrigidos com a utilização de óculos, lentes de contato ou por meio de cirurgia a laser.

MIOPIA

Na miopia, a imagem forma-se na frente da retina. Para corrigir esse defeito, ou seja, para que a imagem forme-se exatamente sobre a retina, a pessoa que tem esse problema deve utilizar óculos com lentes divergentes.

 

HIPERMETROPIA

Na hipermetropia, a imagem do objeto é formada após a retina. Para a correção desse defeito de visão, a pessoa deve utilizar óculos com lentes convergentes, que fazem com que a imagem do objeto forme-se exatamente sobre a retina.

É importante ressaltar que não existem somente esses dois casos de defeitos de visão e que, para cada problema, existe um tipo de lente com características específicas que possibilitam ao usuário ver nitidamente o objeto.

 

ASTIGNMATISMO

O astigmatismo é um problema de visão causado pelo formato irregular da córnea ou do cristalino. Em uma pessoa normal, a córnea apresenta-se redonda e lisa; nos pacientes com essa doença, entretanto, a córnea assemelha-se a uma bola de futebol americano.

Esse formato irregular da córnea dificulta, principalmente, a formação de um único ponto focal na retina, o que ocasiona a refração da luz para vários pontos. É impossível, por exemplo, conseguir focar todas as barras horizontais e verticais de uma janela ao mesmo tempo.

 

Fonte:
MundoEducação

 

Links Interessantes

 

Videos

Como enxergamos



 

Anatomia e fisiologia do olho

 

 

Tudo sobre: Miopia, hipermetropia e astigmatismo

 

 

 

Voltar para EXPERIMENTOS

© 2017 SABINA - Escola Parque do Conhecimento. Todos os direitos reservados. Desenvolvido por Sabina