Logo 5 2017

 

Menu

Prefeitura descartou 13 toneladas de papéis e documentos sem utilização em 2009

O peso de 13 toneladas de papel equivale à soma de 15 automóveis populares. Pois é exatamente este o resultado, até o momento, de um projeto exemplar realizado pela Prefeitura de Santo André.

[img_assist|nid=1548|title=Equipe do Giselpa comemora bons resultados|desc=|link=node|align=left|width=640|height=425]Desde que o Projeto Giselpa foi iniciado, em julho de 2009, 13 toneladas de papéis e documentos sem utilização - muitos dos quais estocados há décadas - já foram retirados da Prefeitura, mais especificamente dos departamentos de Recursos Humanos, Trânsito, Materiais e Patrimônio e Controle Urbano e Habitação.

A iniciativa contribui para mudar a imagem de repartições abarrotadas, comum à administração pública brasileira.

Por enquanto todo este material está sendo compactado e armazenado, mas em breve deve seguir para projetos sociais de reciclagem, sob orientação do Fundo Social de Solidariedade de Santo André, comandado pela Primeira-dama Denise Ravin.

 “O volume retirado até agora equivale ao espaço de uma sala de quatro metros de largura por quatro de comprimento”, ilustra Luiz Gloeden Belfort Pinheiro, coordenador do Departamento de Modernização Administrativa da Secretaria de Administração e Modernização.

Intersecretarial
O nome Giselpa é a sigla para Grupo Intersecretarial de Liberação de Papéis, formado por representantes das diversas secretarias de governo. A eles coube a missão de desenvolver procedimentos para definir o tempo de vida útil de cada tipo de documento encontrado na Prefeitura, de acordo com o manual “Planos de Classificação e Tabelas de Temporalidade de Documentos para as Administrações Públicas Municipais”.

O manual foi produzido por especialistas em arquivologia do Arquivo Público do Estado de São Paulo, com aval do Ministério Público Estadual.

O trabalho envolve levantamento, identificação, avaliação e descarte. Como muitos dos papéis descartados precisam ser picotados, a Prefeitura adquiriu três máquinas fragmentadoras que transformam folhas em tiras mais estreitas que a serpentina de carnaval.

Para 2010, a previsão é avaliar e descartar mais 20 toneladas de papéis e documentos de outros departamentos da Prefeitura.

André Lima
05/01/2010

Última modificação emSegunda, 07 Junho 2010 20:13

Deixe um comentário

Certifique-se de preencher os campos indicados com (*). Não é permitido código HTML.

voltar ao topo