Logo 5 2017

 

Menu

Cesa Parque Erasmo abre inscrições para aulas gratuitas de rugby

A prática do rugby desenvolve a força, agilidade e a concentração A prática do rugby desenvolve a força, agilidade e a concentração Alex Cavanha/PSA

 Serão formadas duas turmas, com aulas às segundas-feiras e às quartas-feiras

Santo André, 21 de março de 2019 - Apesar de ter surgido há aproximadamente 200 anos, na Inglaterra, o rugby ainda é pouco difundido no Brasil, mas que desperta paixão em quem o pratica, e por isso está conquistando cada vez mais admiradores. Em Santo André, o esporte é uma das 41 modalidades de atividades oferecidas gratuitamente para a comunidade nos Centros Educacionais de Santo André (Cesas), dentro do programa Sou Amigo dos Cesas.

As aulas de rugby acontecem no Cesa Parque Erasmo (rua Ipanema, 253) às segundas-feiras, das 12h às 13h, para crianças de 7 a 11 anos, e às quartas, das 16h30 às 17h30, para pessoas com idade entre 12 e 17 anos. As inscrições devem ser feitas no local, de segunda a sexta-feira, das 8h às 20h. É necessário ser morador de Santo André e levar comprovante de residência, além de uma foto 3x4.

O rugby é um esporte coletivo que nasceu em 1823 em uma escola da cidade de Rugby, na Inglaterra. É disputado por duas equipes em que os jogadores conduzem uma bola oval com as mãos,podendo também usar os pés para chutes e lançamentos, a fim de atingir a linha de fundo adversária ou passar por entre as traves da meta. Os pontos são definidos conforme o avanço da bola em quadra. As equipes são compostas por 15 jogadores na versão original (rugby union), e por sete participantes na modalidade olímpica (rugby sevens).

Para alcançar o objetivo e vencer a resistência dos adversários, o jogador de rugby acaba por desenvolver várias capacidades físicas, como a força, a velocidade e a concentração, segundo explica o instrutor Alexandre Correia Gonçalves, da ABC Rugby Clube, responsável pelas aulas na rede municipal de ensino de Santo André. “A integridade, a disciplina, o respeito entre adversários e a amizade são os pilares que definem essa modalidade. Através das aulas, queremos promover um estilo de vida ativo, saudável e com bons exemplos a serem seguidos. Os jogadores de rugby valorizam muito a amizade e a união. Somente com elas é possível vencer”, afirmou.

A inclusão do rugby no programa Sou Amigo dos Cesas, disponibilizando a prática do esporte para a comunidade de forma gratuita, é também uma forma de divulgar e fortalecer o esporte, além de ampliar o número de jogadores até encontrar novos talentos que possam virar profissionais ou atletas olímpicos. “A volta do rugby à grade olímpica em 2016, no Rio de Janeiro, deu uma grande visibilidade ao esporte”, destacou o instrutor Alexandre Correia Gonçalves. O rugby fez parte apenas das quatro primeiras Olimpíadas realizadas. A primeira aparição ocorreu durante os Jogos de 1900, em Paris, voltando a ser disputado em Londres 1908, Antuérpia 1920 e Paris 1924.

“Desde então estamos ganhando mais espaços nas transmissões na TV e virando tema de reportagens de grandes programas de esporte. A seleção feminina brasileira tem o maior número de vitórias no Campeonato Sul-Americano e, ano passado, a seleção masculina recebeu no estádio do Morumbi, com um público de quase 35 mil pessoas, a seleção dos All Blacks Maori, uma das divisões da seleção mais forte do mundo, a da Nova Zelândia”, afirmou Gonçalves.

O instrutor Alexandre Correia Gonçalves é professor de educação física e conheceu o esporte por meio de um amigo, em 2009. Desde então, é um dos membros do ABC Rugby Clube, que possui 10 anos de história, com aproximadamente 40 atletas ativos.

Modalidades – O programa Sou Amigo dos Cesas, criado em 2017, é realizado nos 12 Centros Educacionais de Santo André e acontece graças à participação dos que desejam compartilhar seus conhecimentos de forma voluntária. Neste ano, o programa viabilizou a oferta de 41 modalidades de cursos e atividades nos Centros.

Ainda há vagas em alguns cursos, mas a programação é diferente em cada unidade, por isso os interessados devem procurar o Cesa mais próximo para obter mais detalhes.

Texto: Paola Zanei
Fotos: Alex Cavanha/PSA

Última modificação emQuinta, 21 Março 2019 17:44

Deixe um comentário

Certifique-se de preencher os campos indicados com (*). Não é permitido código HTML.

voltar ao topo