Logo 5 2017

 

Menu

Prefeitura realiza mutirões noturnos no CHM para zerar fila de especialidades

Prefeitura realiza mutirões noturnos no CHM para zerar fila de especialidades

Até dezembro, programa Saúde Fila Zero realizará mais de 20 mil atendimentos nas áreas de dermatologia, neurologia adulto e neurologia pediátrica

Santo André, 17 de outubro de 2018 – Mais uma ação teve início nesta semana no Centro Hospitalar Municipal Dr. Newton da Costa Brandão (CHM). Até dezembro, o local receberá, das 17h às 22h, mutirões de atendimento nas especialidades de dermatologia, neurologia adulto e neurologia pediátrica. A iniciativa visa normalizar a marcação de consultas para essas áreas, que hoje possuem demanda reprimida de 12 mil, 7 mil e 2 mil solicitações, respectivamente.

“Desde a criação do Saúde Fila Zero mais de 400 mil procedimentos, entre consultas, exames e cirurgias, saíram de uma fila de anos de espera. Tínhamos solicitações para neurologista, por exemplo, de 2015. Começamos com essas especialidades que possuíam mais solicitações, mas até o final do ano outras como ortopedia vão entrar também nesta força de trabalho”, afirmou o prefeito Paulo Serra.

Os 21 mil agendamentos para os próximos três meses foram feitos respeitando a ordem cronológica da fila de espera. Após este primeiro atendimento, se necessário, os pacientes serão encaminhados para realizar exames para diagnóstico e retorno médico para efetivar a alta ou encaminhamento para rede de atenção básica para acompanhamento. “Para que o paciente não volte para a fila, não estamos atendendo apenas a primeira consulta, mas garantindo que ele faça o exame, saia com o retorno marcado e no caso da dermatologia, hoje mesmo, os pacientes que apresentam demanda de biópsia já estão realizando o procedimento aqui mesmo”, explicou o secretário de Saúde, Márcio Chaves.

O mecânico de manutenção Célio Abençoado, de 54 anos, foi um desses pacientes. Nesta quarta-feira (17), além de passar em consulta – pela qual esperou dois anos -, realizou seis cauterizações de lesões no rosto e uma biópsia de pele no braço. O morador do bairro Casa Branca também já saiu com data para o retorno. “Fui muito bem atendido, tirei todas as minhas dúvidas e o horário foi muito bom para mim”, avaliou.

Histórico – O programa Saúde Fila Zero foi lançado em 2017, com o objetivo de resolver a extensa fila herdada de espera por exames e consultas no município, que em dezembro de 2016 era de 128 mil solicitações paradas. O projeto atua em três frentes - mutirões, compensações tributárias por meio de prestação de serviços e a retomada do Hospital Dia.

No ano passado, foram realizados seis mutirões de consultas e exames, que fizeram o projeto atingir, considerando apenas essa frente, a marca de 85 mil atendimentos tirados da fila de espera herdada. Esta fila foi herdada de anos anteriores a 2017. Ao longo de todo o ano passado, houve um acréscimo natural de novas demandas por procedimentos. Desde que foi lançado até o último mutirão, realizado em dezembro de 2017, o programa zerou a fila de consultas e exames herdada de anos anteriores à atual gestão em 101 especialidades, sendo que pelo menos 52 atualmente possuem tempo de espera de apenas um mês.

Ainda no Saúde Fila Zero, em abril de 2017, o projeto de lei que autoriza a compensação tributária por meio da prestação de serviços essenciais de saúde pública foi aprovado por unanimidade na Câmara Municipal. A partir disso, a Prefeitura abriu o cadastro para clínicas e hospitais particulares que atendessem os critérios de elegibilidade, para que eles pudessem saldar suas dívidas com o Executivo, débitos inclusive que estavam prestes a prescrever.

Aderiram ao projeto o Hospital e Maternidade Dr. Christóvão da Gama (credenciado em maio de 2017) e a Clínica Ana Rosa (credenciada em junho de 2017), que juntas receberam a oferta para prestarem quase 9,5 mil consultas e exames, nas especialidades de cardiologia, dermatologia, neurologia, ortopedia, reumatologia, cirurgia vascular e ultrassom.

Especificamente no caso das cirurgias, a atual gestão reinaugurou em abril de 2017, a ala do Hospital Dia, no Centro Hospitalar Dr. Newton da Costa Brandão, onde são realizadas cirurgias de baixa e média complexidade, com alta no mesmo dia do procedimento. Isso após mais de um ano e meio do setor permanecer em inatividade.

No primeiro semestre de 2018, outros mutirões do programa aconteceram nas unidades de Atenção Básica do município e no CHM. Na ocasião, foram realizados 195 mil exames entre ultrassom, coleta de sangue, parasitológico e urina.

Texto: Bianca Fontes
Fotos: Alex Cavanha/PSA

Deixe um comentário

Certifique-se de preencher os campos indicados com (*). Não é permitido código HTML.

voltar ao topo