Logo 5 2017

 

Menu

Parceria entre Prefeitura e Comitê Paralímpico Brasileiro promove inclusão de deficientes e descoberta de talentos

Parceria entre Prefeitura e Comitê Paralímpico Brasileiro promove inclusão de deficientes e descoberta de talentos

Alunos da rede municipal poderão desenvolver habilidades no Centro de Treinamento Paralímpico, em São Paulo

Santo André, 9 de abril de 2018 – O Comitê Paralímpico Brasileiro (CPB) e a Prefeitura de Santo André, por meio da Secretaria de Educação, firmaram uma inédita parceria que vai proporcionar a 70 alunos deficientes da rede municipal a possibilidade de participar do “Projeto de Formação de Esporte Paralímpico”. A iniciativa tem como objetivo identificar e formar os atletas paralímpicos do futuro. O termo de parceria foi assinado nesta segunda-feira (9), em cerimônia que contou com a presença do prefeito Paulo Serra e do presidente do CPB, Mizael Conrado de Oliveira, no Centro de Formação de Professores Clarice Lispector, na Vila Matarazzo.

O CPB disponibilizou 70 vagas para alunos com deficiência treinarem no Centro de Treinamento Paralímpico, em São Paulo. Até o momento, 56 estudantes já aceitaram o convite e estão começando a participar dos treinos. Com transporte gratuito e lanche, além de uniforme específico para a prática esportiva, os estudantes com idade entre 10 e 17 anos, recebem acompanhamento especializado, que seleciona os melhores atletas para o aperfeiçoamento de suas aptidões.

“Essa é uma parceria brilhante para a nossa cidade, pois vai possibilitar o acesso das crianças do município a um equipamento de primeiríssima qualidade e profissionais super capacitados para desenvolverem suas habilidades. O esporte tem a capacidade de transformar vidas permanentemente. E esse é um dos grandes poderes transformadores que o poder público possui: o de melhorar a qualidade de vida dessas pessoas’, frisou o prefeito Paulo Serra.

De acordo com o presidente do CPB, Mizael Conrado de Oliveira, embora uma das principais missões do comitê seja detectar talentos e treinar atletas de alto rendimento, a principal meta é promover a inclusão da pessoa com deficiência dentro da sociedade. “Santo André sai na vanguarda, criando condições para que as crianças tenham acesso a atividades físicas no tempo certo, e isso faz toda a diferença no desenvolvimento motor, na cidadania e no resgate da auto-estima”, acrescentou.

O projeto terá nove meses de duração, e nesse período os estudantes participarão de treino duas vezes por semana no Centro de Treinamento. Todos os alunos, de acordo com suas deficiências, farão a experimentação dos esportes paralímpicos oficializados para cada tipo de deficiência. As modalidades são: atletismo, bocha, goalball, judô, natação, tênis de mesa, vôlei sentado e futebol de 5.

Texto: Paola Zanei
Fotos: Ricardo Trida/PSA

Deixe um comentário

Certifique-se de preencher os campos indicados com (*). Não é permitido código HTML.

voltar ao topo