Logo 5 2017

 

Menu

Semasa amplia trabalho de combate às fraudes em ligações de água em 2017

Ligação 'paralela' do by pass mantém fornecimento de água, mas evita medição do hidrômetro Ligação 'paralela' do by pass mantém fornecimento de água, mas evita medição do hidrômetro Divulgação/ Semasa

 

Número de ‘gatos’ identificados subiu 34% na comparação com 2016

O Semasa (Serviço Municipal de Saneamento Ambiental de Santo André) intensificou, em 2017, o seu trabalho de caça às fraudes em ligações de água na cidade. A medida é uma das ferramentas adotadas pela autarquia para combater as perdas e o desperdício de água. No ano passado, foram constatadas 768 fraudes, número 34% maior do que o registrado em 2016.

O volume economizado com a identificação dos ‘gatos’ também foi superior ao período anterior, gerando uma economia de 180.072 m³, suficiente para abastecer mais de 9 mil famílias, com 4 pessoas, que consomem cerca de 20m³/mês. Em 2016, o volume recuperado foi de cerca de 145 mil m³.

A prática de realizar ligações de água fraudulentas é passível de multa e abertura de boletim de ocorrência, quando das fraudes do tipo by pass (que é uma ligação ‘paralela’ à oficial, sem que a tubulação passe pelo hidrômetro), de acordo com a legislação vigente. O valor da multa pela infração varia de 1.000 a 10.000 FMPs (Fator Monetário Padrão), o equivalente a R$ 3.852,70 a R$ 38.527,00. Quando constatada fraude by pass, além da multa e do BO, é feito o lançamento de cobrança de consumo estimado não faturado.

De acordo com levantamento da Gerência Comercial do Semasa, as fraudes mais comuns são as realizadas nos cavaletes e nos lacres dos hidrômetros. O trabalho ativo dos agentes da autarquia permitiu que, em 2017, o número de lacres rompidos identificados pelo Semasa subisse 66%.

Última modificação emSexta, 02 Fevereiro 2018 16:38

Deixe um comentário

Certifique-se de preencher os campos indicados com (*). Não é permitido código HTML.

voltar ao topo

Cidadão

Servidores

Empreendedor