Logo 4 2017

 

Menu

Sabina ganha Jardim Sensorial no Dia das Crianças

Plantas que podem se ingeridas, como o tomate, aguçam o  paladar Plantas que podem se ingeridas, como o tomate, aguçam o paladar Júlio Bastos/PSA

Espaço, inédito no ABC, proporciona a oportunidade de explorar os cinco sentidos do corpo por meio do contato com a natureza; entrada é gratuita

Santo André, 12 de outubro de 2017 - A Sabina - Escola Parque do Conhecimento, espaço voltado para o aprendizado da arte e das ciências de forma divertida e interativa em Santo André, ganhou mais uma atração nesta quinta-feira, Dia das Crianças: um Jardim Sensorial. O espaço, de 150 metros quadrados, possibilita uma viagem pelos cinco sentidos do corpo humano por meio do contato com a natureza. A inauguração contou com a presença do prefeito Paulo Serra.

“Desde que assumi a prefeitura, tenho trabalhado para retomar os símbolos da cidade e devolver para a população o orgulho de morar aqui. E um desses símbolos é a Sabina, que não podia ficar fechado, como estava quando nós assumimos. Inclusive, no Dia das Crianças do ano passado, a Sabina não funcionou. Por isso é uma alegria muito grande estar aqui hoje, com o espaço funcionando na sua totalidade e ainda com a inauguração desse novo equipamento”, disse o prefeito Paulo Serra.

O Jardim Sensorial fica na área externa da Sabina e tem entrada gratuita. O espaço é integrado ao paisagismo do Parque Central, que circunda a Sabina Escola Parque. “Neste local havia uma estufa que estava abandonada, um local perfeito, em meio à natureza, para instalarmos o Jardim Sensorial. Aqui vamos trabalhar em aulas a questão do meio ambiente e o visitante poderá também aguçar todos os seus sentidos. Sem contar que o espaço possibilita uma experiência também inesquecível para os deficientes”, destacou a coordenadora da Sabina Escola Parque, Érikca Springman.

Isso porque, o novo espaço da Sabina, inédito no ABC, foi desenvolvido para estimular cada um dos sentidos do corpo separadamente. E para que isso aconteça de forma ainda mais intensa, o visitante poderá, se quiser, entrar no local sem sapatos e com óculos que permitem a visão apenas de sombras.

Sentidos - Logo na entrada, o visitante se depara com flores coloridas como a azaléa, que já despertam o primeiro sentido, a visão. Na sequência do percurso do Jardim, quem tirou os sapatos pode sentir com os pés os diferentes tipos de piso (madeira, casca de árvores, pedra rolada e areia). Na lateral do percurso, mesas táteis com os mesmos materiais do piso, dão oportunidade para os cadeirantes sentirem com as mãos o que não podem sentir com os pés. Logo depois o visitante tem acesso ao canteiro de plantas, que conta com espécies como as suculentas, que proporcionam o estímulo ao tato.

Depois é a vez do olfato, provocado por plantas perfumadas, como o jasmim, o manjericão e o capim limão. Enquanto uma fonte com água corrente, o barulho das árvores ao vento e o som dos pássaros fazem o cérebro voltar sua atenção para a audição. Para o paladar, plantas como hortelã e mini tomates poderão ser saboreados.

Segundo a bióloga Ana Paula Gonzaga, uma das idealizadoras do projeto, o Jardim foi desenvolvido para compor um ambiente verdadeiramente acessível, onde todos podem usufruir do espaço, seja em visitação espontânea ou em aulas, de forma igualitária, independente da idade, das limitações ou deficiências. O objetivo é proporcionar uma experiência sensorial desconhecida para a maioria das pessoas, estimulando-as a reparare na importância de cada um de seus sentidos.

“Sob o ponto de vista educacional, o Jardim funcionará como uma importante ferramenta didática para o ensino de botânica, percepção sensorial (corpo humano), educação ambiental, microbiologia e cidadania em um espaço de educação não formal, que se integra ao meio ambiente de forma natural. Essa ferramenta educativa facilita a compreensão de conteúdos e conceitos nas áreas de ciências biológicas e geografia, permitindo a interdisciplinaridade com as mais diversas áreas” , acrescenta Éricka.

Boneca Nina – Nesta quinta-feira a Boneca Nina, uma das atrações mais queridas da Sabina, voltou a funcionar, depois de ficar fechada por mais de uma ano. A menina, cuja boca aberta é a porta de entrada para crianças e adultos viajarem pelo sistema digestivo, passou por manutenção completa.
“Todos os simuladores que também estavam fechados já estão funcionando”, destacou a coordenadora da Sabina, Éricka Springman. Segundo Éricka, mais de 1,2 mil pessoas foram à Sabina neste Dia das Crianças.

 

Sabina Escola Parque do Conhecimento

Endereço: Rua Juquiá, s/nº, Vila Eldízia (entrada na altura do nº 135)

Horário: Sábados, domingos e feriados, das 9h30 às 17h30. As sessões do Planetário são às 11h e às 15h.

Ingressos: Grátis para alunos e professores das escolas municipais de Santo André, para crianças menores de 5 anos e pessoas com deficiência. Demais visitantes: R$ 20, com meia-entrada para estudantes, professores, servidores públicos andreenses, aposentados e idosos acima de 65 anos. Interessados em assistir a uma das sessões do Planetário e Cinedome de Santo André - Johannes Kepler pagam R$ 30, a inteira, com direito a passeio por toda a Sabina.

Estacionamento: Gratuito, sujeito à disponibilidade de vagas

Mais informações pelo telefone 4422-2000

 

Última modificação emQuinta, 12 Outubro 2017 18:56

Deixe um comentário

Certifique-se de preencher os campos indicados com (*). Não é permitido código HTML.

voltar ao topo

post novo 02

Cidadão

Servidores

Empreendedor