Logo 4 2017

 

Menu

Programa Qualisaúde segue em ritmo acelerado

Programa Qualisaúde segue em ritmo acelerado Alex Cavanha/ PSA

 

Secretários prestaram contas sobre iniciativa lançada em julho, que inclui modernização de unidades, informatização de processos, entre outras medidas

Santo André, 20 de setembro de 2017 - Os secretários e adjuntos das pastas de Saúde, de Manutenção e Serviços Urbanos e de Inovação e Administração realizaram nesta quarta-feira (20) prestação de contas sobre o programa Qualisaúde, lançado em julho deste ano. Durante a entrevista coletiva, a equipe apresentou as plantas das reformas, previsão de investimentos, pilares do projeto e as ações de capacitação, além de reformulações que já foram realizadas em outros serviços da rede de saúde municipal.

“O Qualisaúde foi minuciosamente planejado e criado justamente em respeito à população que utilizava uma rede que não estava boa e que precisava de mudanças. Não se trata de um programa de obras, na verdade, além das reformas, estamos realizando diversas ações em outros pilares do projeto que vão melhorar o atendimento dos usuários. Não é só um espaço melhor para acolhê-los, mas também profissionais mais capacitados, humanização dos processos e atenção às demandas dos funcionários e usuários das unidades”, comentou a secretária de saúde, Ana Paula Peña Dias.

Dentro do pilar a estrutura foi revisado o abastecimento de medicamentos, que já chegou a 85%, sendo que no início do ano, a administração assumiu com o almoxarifado central abastecido em apenas 20%. Outra ação é a higienização do banco de dados da saúde, onde serão unificados os cadastros de usuários que possuem mais de um número de cadastro nacional de saúde. Dentro da gestão por processos foram identificados os gargalos e otimizados os fluxo de trabalho nas unidades de saúde dos bairros Ana Maria, Jardim Irene I, Jardim Santo André, Palmares, Santo Alberto e Utinga.

No pilar da valorização do trabalhador, foram iniciadas rodas de conversas nas unidades para que as equipes tenham o hábito de periodicamente dialogar sobre as demandas internas. Foi implementada a biblioteca da Saúde para consulta pelos funcionários, promovidos simpósios e seminários e outros. Na gestão do cuidado, pacientes institucionalizados no interior do estado passaram a morar em duas novas residências terapêuticas, houve a redução da fila de espera por exames e consultas com a realização de quatro mutirões do saúde Fila Zero, e foram implantados protocolos de acesso, que dão mais segurança ao profissional e paciente em seguir um padrão no atendimento de casos com determinados sintomas. Por fim, dentro da valorização do usuário, foram reformulados o curso para Conselheiros e a Ouvidoria da Saúde, com a preocupação de dar retorno as queixas registradas no serviço.

O secretário de Manutenção e Serviços Urbanos, Luiz Zacarias, aproveitou para explicar porque sete unidades de saúde foram fechadas temporariamente para modernização de uma vez. “Quando você compra material para reformar uma unidade apenas, você paga mais caro. A compra em maior quantidade torna o investimento nos materiais mais barato”, explicou. O secretário de Inovação e Administração, Fernando Gomes, completou: “além disso, estamos informatizando a rede para que haja integração do histórico do paciente, precisamos que mais de uma unidade possa acessar o prontuário digitalizado. Além do que, entregaremos, ao todo, 11 equipamentos reformados, isso no segundo ano de gestão. Se fosse um por vez, a cidade teria apenas quatro equipamentos reformados até o final deste mandato”.

A expectativa da administração é investir até R$ 4 milhões com a modernização das unidades de saúde. Estão em processo de reforma física, a partir do lançamento do programa, apenas 11% de todos os 63 equipamentos de saúde da rede municipal. Os equipamentos para onde os usuários dessas unidades foram redirecionados têm no máximo 2 km de distância das unidades de referência. Sobre as intervenções nas unidades, o secretário adjunto de Manutenção e Serviços Urbanos, Vitor Mazzeti, explicou que a reforma foi iniciada pela remoção de prontuários, equipamentos de alto custo, mobiliário e então, diagnóstico mais preciso sobre a estrutura dos espaços já esvaziados, além das demolições necessárias. Mazzeti ainda apresentou as plantas das reformas, todas já definidas e o cronograma de obras. “As intervenções planejadas já começaram nesta semana na UPA Jardim Santo André e na unidade do Bom Pastor”.

 Bianca Fontes

Última modificação emSexta, 22 Setembro 2017 18:15

Deixe um comentário

Certifique-se de preencher os campos indicados com (*). Não é permitido código HTML.

voltar ao topo

post novo 02

Cidadão

Servidores

Empreendedor