Logo 4 2017

 

Menu

Alunos de Santo André participam de ato cívico no Tiro de Guerra

Alunos de Santo André participam de ato cívico no Tiro de Guerra Alex Cavanha e Júlio Bastos/PSA

Cerca de 500 crianças, de duas escolas municipais, vão participar de cerimônia que terá entrada de bandeiras e execução do hino nacional, em ação do Núcleo de Inovação Social; evento ocorre mesmo com dificuldades financeiras que levaram ao cancelamento do desfile da Parada Cívico-Militar

Santo André, 5 de setembro de 2017 – Apesar do cancelamento do desfile Cívico-Militar de 7 de setembro neste ano, por conta de questões financeiras, alunos da rede municipal de ensino de Santo André participarão de ato cívico em comemoração ao Dia da Independência do Brasil, numa ação do Núcleo de Inovação Social. O Tiro de Guerra de Santo André vai receber nesta quarta-feira (6) cerca de 500 crianças das Emeiefs Odylo Costa Filho e Profª. Therezinha Monteiro de Barros Nosé, com apresentação da fanfarra da escola. O ato cívico contará com hino nacional, entrada das bandeiras e hino da independência, além de visita monitorada para celebrar esta importante data na história do Brasil.

O evento acontece em dois horários: às 8h30 e às 14h30. Distribuídos em dois grupos, 220 no período da manhã e 280 à tarde, os estudantes vão participar do ato de entrada das bandeiras, execução do hino nacional e do hino da bandeira, com participação dos atiradores do Tiro de Guerra deste ano, além de visita monitorada pelas instalações da instituição. Os 40 alunos que participam da fanfarra da Emeief (Escola Municipal de Educação Infantil e Ensino Fundamental) Professora Terezinha Monteiro de Barros Nosé, na Vila Alpina, também vão se apresentar na cerimônia.

“É muito importante manter atividades na cidade que mostrem, principalmente para as crianças, a importância da história do nosso país. Com ações fundamentais como esta formamos futuros cidadãos de bem, ensinando conceitos de cidadania aos estudantes”, afirma a primeira-dama e presidente do Núcleo de Inovação Social, Ana Carolina Barreto Serra.

A secretária de Educação, Dinah Zekcer, ressalta o valor histórico de atividades como esta. “O contato com os símbolos do País, o respeito às instituições e o conhecimento da história do Brasil são temas fortemente trabalhados pelas escolas na época da independência e em atividades como esta, que ajudam as crianças a se apropriarem do conteúdo histórico transmitido. São informações fundamentais para a formação de cidadãos mais conscientes e respeitadores dos valores e símbolos de seu País”. Participam do evento os alunos das turmas de 1º a 5º anos da Emeief Professora Terezinha de Barros Nosé e da Emeief Odylo Costa Filho, que fica na Vila Guiomar.

Fanfarra – A fanfarra da Emeief Terezinha de Barros Nosé foi criada em 2010, pelo professor de artes Luciano Foga, que angariou os instrumentos doados por outras unidades escolares e passou a ensaiar as crianças, juntamente com dois professores de Educação Física, Vinícius dos Santos Moreira e Uirá Farias. Atualmente 40 alunos da unidade, com idade entre 7 e 10 anos, participam da fanfarra que conta com balizas e com alunos que levam as bandeiras do Brasil, do Estado de São Paulo e de Santo André à frente dos instrumentos. “Na fanfarra as crianças têm contato com conceito de grupo, de companheirismo e de respeito aos amigos. Também a disciplina é muito importante. Sem contar que eles percebem que podem ir além. Fazer uma coisa que nunca fizeram antes”, destacou Foga. 

Desfile cívico – Devido à necessidade de o município restabelecer sua saúde financeira e equacionar dívidas que chegaram aos R$ 300 milhões no início deste ano, a prefeitura de Santo André optou por não realizar o desfile da Parada Cívico-Militar de 7 de setembro. A administração não tem poupado esforços para reduzir gastos na tentativa de normalizar o mais rápido possível o orçamento do município e irá se empenhar  para que os festejos e comemorações desta data voltem o mais rápido possível. “Desde que iniciamos o nosso trabalho em janeiro não deixamos em nenhum momento o foco em acertar as contas da cidade, que estavam em situação desastrosa. Realizamos inúmeras ações, como o cancelamento do Carnaval. Assim que equilibrarmos as contas, retomaremos as datas festivas”, comentou o prefeito Paulo Serra.

Daniele Vieira

Deixe um comentário

Certifique-se de preencher os campos indicados com (*). Não é permitido código HTML.

voltar ao topo

Cidadão

Servidores

Empreendedor