Logo 5 2017

 

Menu

Turismo Industrial

  • Escrito por Super User

Definição MTUR

A definição a seguir pode aplicada ao Turismo Industrial.
“A roteirização é importante no desenvolvimento das atividades turísticas de uma região, porque auxilia o processo de identificação, elaboração e consolidação de novos roteiros turísticos e, além disso, tem como função apontar a necessidade de aumento dos investimentos em projetos já existentes seja na melhoria da estrutura atual, seja na qualificação dos serviços turísticos oferecidos. A construção de parcerias é um dos focos do processo de roteirização.”.


Introdução

Empresas de países desenvolvidos, como França, Japão e EUA, praticam desde a segunda metade do século passado o chamado Turismo Industrial. O termo refere-se ao ato dos empreendedores abrirem suas instalações para grupos de pessoas interessadas em conhecer a estrutura das unidades produtivas, a forma de produção e a tecnologia empregada.
As visitas são sistematizadas através de um roteiro específico, com dias e horários agendados. Os empresários criam espaços onde os turistas podem circular dentro das unidades, conhecendo o processo produtivo, sem afetar a produção ou, até mesmo, machucar-se. Há um ou mais guias, que além de mostrarem as instalações das empresas, contam a história dos empreendimentos, abordando o início e a situação do momento.
Para empresas que têm muito tempo de atuação, uma das ações que a valorizam o roteiro interno é a criação de um pequeno museu. O local deve guardar, por exemplo, imagens de pessoas, como as de seus fundadores e até equipamentos antigos de produção. Assim, os visitantes percebem a evolução da empresa e visualizam o crescimento do negócio, o que posiciona o empreendimento como uma organização de sucesso.
Ao final das visitas, fortalece-se a marca das empresas através da comercialização de algo que lembre os empreendimentos. Camisetas, bonés, chaveiros, produtos etc. Pode-se montar um ponto de alimentação, com lanches rápidos, o que melhora as condições de recebimento dos turistas, aumentando o faturamento dos negócios. A grande maioria das empresas não cobra a entrada dos turistas em suas instalações, já que o interessante é promover as marcas perante os visitantes.
Para incrementar as atividades de Turismo Industrial, os empresários devem estabelecer parcerias com empreendedores do mesmo segmento e setores diferentes, empresas públicas e privadas que realizam o desenvolvimento do turismo e da economia local, instituições de ensino profissionalizante e acadêmico, bancos etc. Inserir o turista dentro de um roteiro maior de visitação é o que motiva um turista a se deslocar até a região de um determinado negócio.
O fundamental do Turismo Industrial é ter bons produtos, processos bem definidos, uma história para contar e souvenires para comercializar. Grupos de idosos, crianças e pessoas interessadas formam as grandes demandas para este tipo de turismo.
No Brasil, a Serra Gaúcha é um bom exemplo de Turismo Industrial. Com a estrutura já existente, como: hotéis, festas locais, restaurantes típicos e pontos turísticos, as empresas faturam e promovem o desenvolvimento da economia da região. Municípios como Caxias do Sul, Farroupilha, Bento Gonçalves, Garibaldi, Carlos Barbosa, Canela, Gramado e Nova Petrópolis recebem cada vez um número maior de visitantes interessados em conhecer, principalmente, as vinícolas e as unidades produtivas de chocolate. Restaurantes, farmácias, lojas e muitos outros empreendimentos saem ganhando. Portanto, empresários e seus colaboradores, do mesmo setor ou não, têm uma única linguagem.
Empresas e regiões focadas no Turismo Industrial são mais competitivas e alcançam o sucesso mais facilmente, pois há uma maior geração de emprego e renda.


Turismo Industrial em Santo André

Santo André reúne muitos atrativos a investidores. A cidade integra um grupo seleto de municípios brasileiros que contribui ativamente para o crescimento da economia do país a partir do final do século XIX.
Com uma área de 174,38 Km², conta atualmente uma população de 678,486 habitantes distribuídos em 239.634 domicílios. Possui uma economia madura, moderna e diversificada.
A cidade está localizada no Grande ABC Paulista, região que faz divisa com a capital paulista e abriga sete municípios com um vigoroso pólo produtivo industrial, comercial e de serviços.
Santo André se destaca como uma das cidades mais atraentes para receber novos investimentos. Além da ferrovia que liga a região ao Porto de Santos, a chegada do trecho sul do rodoanel em 2010, o aumento da produção do setor petroquímico e de gás derivado dos investimentos no pré-sal, programados até 2020, e as ações proativas para a implantação de um Parque Tecnológico, colocam a cidade em posição de destaque para receber investimentos e aumentar a produção do seu pólo petroquímico, atrair novas empresas do setor de logística e desenvolver novas tecnologias fomentando o desenvolvimento da indústria do conhecimento.
Santo André investe no fomento ao Turismo Industrial considerando seus aspectos históricos, culturais, econômicos e sociais ligados ao segmento, entrando assim neste nicho de mercado promissor baseado em outras experiências exitosas pelo mundo afora. Além disso, a cidade e a região do Grande ABC foram protagonistas de importantes movimentos dos trabalhadores das indústrias que marcaram a recente história do Brasil. Líder destes movimentos na década de 1970, Luis Inácio Lula da Silva, tornou-se mais tarde o primeiro presidente operário do Brasil. Santo André abriga ainda, por exemplo, a primeira sede da Central Única dos Trabalhadores (CUT), localizada na Praça Kennedy.
Aproveitando todo este potencial, o Departamento de Turismo formata uma proposta de Roteiro Industrial ousada que intenciona a inclusão do Parque Tecnológico da cidade.


Indústrias
Apesar da mudança de perfil econômico sofridas pelo município nas ultimas duas décadas, saindo da supremacia do setor industrial para o setor de serviços. Santo André ainda preserva indústrias nacionais economicamente relevantes como a Solvay/Rhodya, Braskem e Bridgestone, além delas existem também pequenas indústrias ou as chamadas “industrias artesanais”, essas produzem itens até mesmo para exportação, como é o caso da empresa Sigma que produz artesanalmente carros de alta performance (cerca de 6 a 8 carros/ano), participa de feiras internacionais do ramo automotivo e já iniciou o processo de importação para os Estados Unidos da América.
Boa parte das grandes industrias já possui um estrutura mínima para a realização de visitas internas, - como é o caso da Solvay/Rhodya Unidade Têxtil. No entanto, faz-se necessário a sensibilização, captação e organização do setor para o roteiro turístico, entendo e preservando sua capacidade de carga e política interna.
O território a ser roteirizado compreende inicialmente o município de Santo André podendo, a partir de parcerias entre o Consórcio Intermunicipal do Grande ABC, a Prefeitura de Santo André e grupos gestores, se tornar um roteiro turístico de maior sunto e projeção.
Considerando que a elaboração encontra em fase inicial de roteirização e seu potencial, pretendemos abordar as áreas industriais químicas, têxteis, automobilísticas e artesanais, podendo ser ampliado de acordo com a adesão das demais indústrias.
Iniciou-se no segundo semestre de 2013 o dialogo com as principais industriais da cidade a fim de apresentar a proposta de elaboração de um roteiro industrial a se comercializado e oferecido aos nichos de mercado existentes no município, no caso, os “turistas/visitantes” de negócios, eventos, pedagógico e cientifico.
Ao relacionar os fatores de oferta e demanda para o roteiro iniciamos a formação de um grupo gestor do roteiro industrial composto pelo Departamento de turismo (Secretaria de Cultura e Turismo), pelo Departamento de Geração Trabalho e Renda (Secretaria de Desenvolvimento Econômico, Ciência, Tecnologia e Trabalho), COMTUR – Conselho Municipal de Turismo de Santo André e possivelmente a Universidade Federal do Grande ABC. Assim que firmado o grupo gestor se iniciará a construção do planejamento estratégico para implantação do Roteiro de Turismo Industrial.


Indústrias Metalmecânico
O Arranjo Produtivo Local é produto de um convênio entre a Agência de Desenvolvimento Econômico do Grande ABC e o SEBRAE-SP que tem como objetivo o fortalecimento e a geração de negócios entre micro, pequenas e médias empresas do setor metalmecânico, instaladas na Região do Grande ABC.

Indústrias de Plásticos
Fiesp, Sebrae-SP, Quattor e o Banco Mundial (IFC), juntamente com a Agência do Grande ABC, integram o Comitê Gestor do projeto que reúne 50 indústrias de transformação de plástico. O grande objetivo é o envolvimento progressivo das 600 empresas instaladas na região, em um ambiente de vantagens competitivas. A presença do Pólo Petroquímico e Químico impulsiona o APL Plásticos, promovendo uma forte cadeia produtiva regional.

Indústrias Artesanais

O município abriga diversas empresas que são de porte mais reduzido, no entanto, oferecem produtos tão diferenciados que alguns deles são até exportados, como o Caso dos carros de alta performance, feitos pela empresa SIGMA.

APL – Arranjo Produtivo Local do Grande ABC
Arranjo produtivo local é, por definição, uma aglomeração de empresas localizadas em um mesmo território que apresentam especialização produtiva e mantêm algum vínculo de articulação, interação, cooperação e aprendizagem entre si e com outros atores locais como governo, associações empresariais, instituições de crédito, ensino e pesquisa.

O Arranjo Produtivo Local compreende, portanto, um recorte do espaço geográfico (parte de um município, conjunto de municípios, bacias hidrográficas, vales, serras etc.) que possua sinais de identidade coletiva (sociais, culturais, econômicos, políticos, ambientais ou históricos).

Ao estimular processos locais de desenvolvimento, é preciso ter em mente que qualquer ação nesse sentido deve permitir a conexão do arranjo com os mercados, a sustentabilidade por meio de um padrão de organização que se mantenha ao longo do tempo, a promoção de um ambiente de inclusão de pequenos e micro-negócios em um mercado com distribuição de riquezas e a elevação do capital social por meio da promoção e a cooperação entre os atores do território.

A Agência apoia diversos projetos visando à estruturação dos APLs.

- Autopeças
- Defesa
- Ferramentaria - www.aplferramentaria.com.br
- Gráficos
- Hotéis e Bares
- Metalmecânico
- Moveleira
- Panificação
- Químico
- TI de São Caetano do Sul

Indústrias Participantes do Roteiro _ Em Breve


1. Solvay / Rhodia Group Têxtil
Esta Unidade do Grupo Solvay / Rhodia produz fios têxteis e industriais, polímeros e filter tow.
Endereço: Avenida dos Estados, 5.852 – Portaria 2 - Centro

2. Braskem
UNIB 3 CK ABC
Endereço: Avenida Presidente Costa e Silva, 1178 - Pq. Capuava - Santo André, SP
Tel: 11 4478-1515
Agendamento de visitas: http://www.braskem.com/site.aspx/Agendar-Visita?qsLoc=MYf0wK0U7Os=

3. Universidade Federal do Grande ABC – UFABC
Endereço: Av. dos Estados, 5001 - Bangu
Telefones: (11) 4996-7914 / 7973 / 7982