paranapiacaba-06

Menu
RSS

Todos os dias a Vila de Paranapiacaba é envolta por uma história de amor!

noivaEsta é mais uma história de amor impossível. Um tipo de “Romeu e Julieta” Tupiniquim...

Como cenário, a Vila histórica de Paranapiacaba, situada no alto da Serra do Mar, no município de Santo André.

Quem já foi lá certamente viu a Vila desaparecer de uma hora para outra, engolida aos poucos por uma densa e branca neblina que sorrateiramente sobe a serra, passa pelos patamares e pela Grota funda e invade toda a vila.

Igreja Bom Jesus de ParanapiacabaA Vila de Paranapiacaba foi construída pelos ingleses no início do século XX. As charmosas casas de madeira abrigaram os funcionários que trabalharam na construção e operação da estrada de ferro.Os altos cargos eram ocupados pelos Ingleses, enquanto que outros imigrantes (italianos, portugueses...) formavam a massa operária.Um visitante desavisado pode acreditar que este cenário é apenas uma bela manifestação da natureza, mas os moradores garantem que esta névoa oculta muito mais do que os nossos olhos podem ver. Eles sabem “quem” é esta neblina!

Diz a lenda que o filho de um rico engenheiro inglês da São Paulo Railway apaixonou-se por pela filha de um operário. Ele rico e protestante. Ela pobre e católica. Uma união impossível naqueles tempos....

O engenheiro inglês proíbe esta união. O filho apaixonado, em típica rebeldia juvenil não dá ouvido e marca seu casamento na Igreja do Bom Jesus.

O Lord Inglês enfurecido pela desobediência de seu filho, agravada pelo desaforo de um casamento marcado em território católico, na parte alta de Paranapiacaba, planeja a sua desforra.

grota fundaNo dia da cerimônia, inicio da tarde, na hora marcada para o enlace, noiva no altar... Passam os minutos, horas e o noivo não aparece.

Ao longe, na parte baixa da vila, em uma das exuberantes residências ocupadas pelos engenheiros ingleses, um choro soluçado se ouvia.

O noivo, trancado pelo pai raivoso no porão da residência foi impedido de comparecer ao seu matrimônio.

Abandonada no altar, a noiva não conteve a tristeza e a humilhação. Fugiu desolada e tomou o primeiro locobreque que descia em direção à baixada santista.

Ainda em seus brancos trajes de núpcias e com o coração partido, a noiva infeliz finalizou sua tragédia ao mergulhar no precipício assim que a composição cruzou a Grota funda.

Museo FunicularNunca seu corpo foi encontrado, mas a partir deste dia, em todo começo de tarde uma densa neblina cobre a vila. Dizem ser a noiva que sai da Grota funda e invade a vila a procura do seu amado.

 

 

 

 

 

Fonte: www.samotur.com.br